quinta-feira, 5 de abril de 2012

1º Encontro Nacional dos Departamentos Estaduais de Quadros aprova Resolução |


O Departamento Nacional de Quadros realiza com sucesso seu 1º Encontro e aprova Resolução para 2012
O Departamento Nacional de Quadros realiza com sucesso seu 1º Encontro e aprova Resolução para 2012
O Departamento Nacional de Quadros João Amazonas realizou nos dias 23 e 24 de março, no Rio de Janeiro, o 1º Encontro Nacional dos Departamentos Estaduais de Quadros.
O objetivo do encontro foi situar o tema da política de quadros como principal desafio a ser consolidado no próximo período, fruto de intensa discussão que foi aprovada no 12º Congresso Nacional do PCdoB. A partir da consolidação do Departamento Nacional de Quadros João Amazonas, o Encontro teve por objetivo discutir a centralidade da política de quadros e a importância da instituição dos departamentos estaduais.
O Encontro buscou pactuar um plano de trabalho junto aos estados, para 2012 e que envolvem uma série de medidas exequíveis que também fazem parte do documento do 7º Encontro Sobre Questões de Partido, realizado em abril de 2011, em São Paulo.
A meta principal é, também, resgatar alguns elementos do 7º Encontro, que já pautou o tema sobre a política de quadros, dando ênfase aos quadros intermediários e de base”. O encontro funcionou como uma maneira de situar os departamentos estaduais de quadros, sobre quais seriam os próximos passos nessa consolidação e as ações a serem desenvolvidas junto aos estados para dar seguimento à construção da política de quadros do PCdoB.
Há que se destacar a importância do trabalho conjunto  entre os departamentos estaduais e o departamento nacional,  no intuito de dar o suporte recíproco ao nosso trabalho.
Destacamos as eleições desse ano como um ponto importante da aplicação dessa nova política de quadros, e em relação às novas lideranças que surgem.
Números desse Encontro:
Presentes 58 camaradas; 23 Estados; 15 DEQ’s dos 18 já constituídos; 2 Presidentes estaduais; 18 Secretários Estaduais de Organização ; 2 DMQ’s – Departamentos Municipais de Quadros e 32 camaradas fizeram intervenções.
Veja também outras Resoluções de Organização em nossa Biblioteca
Abaixo a Resolução na íntegra:
RESOLUÇÃO
1° ENCONTRO NACIONAL DOS DEPARTAMENTOS ESTADUAIS DE QUADROS
“90 anos do PCdoB: garantir a implementação da política de quadros é cuidar do nosso maior patrimônio – os quadros do PCdoB”
“A direção organizativa se voltará mais decididamente a dirigir efetivamente por meio da política de quadros do 12º Congresso e organizar de fato a vida militante desde a base. Em combinação com a direção política isso é a garantia de governança partidária no sentido do papel estratégico do PCdoB. A direção organizativa comporá o movimento com uma dupla dimensão e será perseguida nas maiores cidades do país, em todas as frentes em que atua o PCdoB, ligados às prioridades do projeto político em definição para 2012. A primeira dimensão é estender as fileiras partidárias à escala de 400 mil membros até o final da campanha de 2012. O PCdoB deve se dirigir amplamente aos trabalhadores, juventude e mulheres, às lideranças da sociedade civil e da vida cultural, de Estado, científica, acadêmica etc., para abrir-lhes as portas a participar da vida política nacional, mediante a via eleitoral, a luta social e a luta de ideias. A segunda é estender a vida partidária associativa dos militantes, de formas flexíveis e variadas, em volume mais extenso e duradouro, desde a base. Esse diferencial próprio do PCdoB é um patrimônio a ser cultivado como modo de elevar a consciência política, as convicções e a ação política em todos os terrenos da sociedade, designativo de um partido de caráter autenticamente orgânico em prol da luta pelo socialismo”.
Extrato da Carta-compromisso do 7° Encontro
O Documento intitulado “Política de Quadros para a contemporaneidade” aprovado no 12° Congresso Nacional formulou as principais diretrizes para uma política de quadros, e conforme o próprio documento “num momento em que se elevam os desafios da disputa pela hegemonia política e ideológica na atual etapa de desenvolvimento do capitalismo e da luta de classes”. No entanto, tal política apesar do conhecimento de grande parte das direções partidárias, ainda requer um esforço maior no sentido de sua assimilação eimplementação junto ao coletivo partidário, e em especial pelos Departamentos Estaduais de Quadros.
No atual momento político do PCdoB, torna-se cada vez mais central a tarefa de dirigir organizativamente o partido através da Política de Quadros, visto que nosso objetivo é chegar ao 13° Congresso do PCdoB, com 500 mil filiados, além de um partido com cada vez mais influência na sociedade. Para isso, devemos cuidar cotidianamente do nosso maior patrimônio político – os quadros do PCdoB.
O 7° Encontro Nacional sobre Questões de Partido, realizado em abril de 2011, aprovou uma série de diretivas, tendo como destaque o novo modo de direção organizativa, no intuito de contribuir e dar resposta ao momento de atualização do pensamento programático e estratégico do nosso partido. A essência desse novo modo de direção se constitui com a consolidação dos Comitês Municipais das grandes cidades – que passa a ser o novo centro de gravidade do nosso trabalho, juntamente com uma vida militante mais definida, estruturada e estável desde as bases.
A chave para o êxito do nosso trabalho são os Departamentos Estaduais de Quadros que em consonância com o Departamento Nacional de Quadros João Amazonas, tem por objetivos:
a) preparar conscientemente e com ousadia nova geração de quadros dirigentes do partido, avançados em sua formação classista e marxista, de capacidade de apreensão da realidade brasileira, que os capacite a discernir de mote próprio os fenômenos na perspectiva do projeto estratégico do Partido, mesclada com os quadros mais antigos e experientes.
b) Avançar na formação de extenso contingente de quadros intermediários e de base, fixá-los nos seus papéis, visando pôr em funcionamento a vida partidária por intermédio deles. Esse esforço se concentra na consolidação dos comitês municipais e na luta por estruturar bases partidárias que congreguem e ponham em ação organizada a militância.
c) Avançar em políticas de quadros com respeito à juventude, mulheres, trabalhadores e quadros mais diretamente atuantes na luta de ideias, bem como em funções técnicas de assessoria e consultoria do trabalho partidário, mandatos, órgãos de governo entre outros.
Precisamos falar mais diretamente às bases do partido, estabelecendo uma rede de comunicação, além de uma política de relacionamento com os principais dirigentes das 300 maiores cidades no Brasil, de forma que as deliberações e comunicados da direção nacional, estadual e municipal possam circular de forma mais rápida e dinâmica entre os principais dirigentes. Para isso, devemos constituir os Fóruns de Quadros Intermediários e os Fóruns de Quadros de Bases, que visam desenvolver uma política de quadros direcionadas a uma vida militante de base, ou conforme a chamada do 7° Encontro “Mais vida militante para um partido do tamanho das nossas ideias”, tendo por referência a proposta de revisão organizativa.
A contribuição financeira dos quadros partidários, através do Sincom – Sistema Nacional de Contribuição Militante, diz respeito ao compromisso dos dirigentes com as finanças e funcionamento do nosso partido, além de ser um processo de educação ideológica. Neste sentido, devemos assegurar o cadastro de todos os dirigentes partidários no Sistema, além de assegurar que todo militante partidário tenha a Carteira Nacional Militante – CNM.
Em 2012, a eleição municipal será nossa grande batalha e nossa prioridade de atuação política. Devemos aproveitar esse momento importante de mobilização partidária para a implementação da política de quadros, tendo como foco os quadros intermediários e os “pivôs” das bases. Além disso, devemos aproveitar esse período para a filiação de novas lideranças políticas que se destacam no processo eleitoral.
O atual momento político no Brasil e no mundo, e suas implicações nos desafios políticos, ideológicos e organizativos do PCdoB se traduzem em 6 focos centrais do nosso trabalho: 1) Projeto Eleitoral 2012; 2) Comemorações dos 90 anos do PCdoB; 3) 2ª Conferência Nacional do PCdoB sobre a Emancipação da Mulher; 4) 16° Congresso Nacional da UJS;  5) Aplicação massiva do Curso do Programa Socialista – CPS; 6) Funcionamento e fortalecimento orgânico e permanente dos Comitês Municipais e organismos de base. As propostas de plano de trabalho para os Departamentos Estaduais de Quadros em 2012 apresentadas a seguir devem ter por referência esse atual contexto político de grandes desafios para o PCdoB.
1-      Conhecimento, cadastramento, classificação, alocação e promoção dos quadros intermediários dos Estados, conforme critérios estabelecidos, dos 300 maiores municípios;
Meta: 5000 quadros cadastrados.
2-      Conhecimento e cadastramento dos dirigentes das bases partidárias reunidas na última conferência estadual. Esses quadros serão acompanhados pelos quadros intermediários, e serão “pivôs” das bases. Para tanto, devemos iniciar este trabalho pelas capitais e maiores municípios;
Meta: atingir os 2350 dirigentes das bases reunidas nos processos das conferências municipais em 2011.
3-      À partir de uma política de relacionamento, queremos estabelecer canais permanentes de comunicação com os dirigentes e quadros intermediários, necessitando para isso do mailing com endereços eletrônicos atualizados. O Portal da Organização é um importante canal de comunicação direta com os dirigentes, através de boletins e notícias queremos atingir maior número de quadros;
4-      Estabelecer um processo de estímulo à formação dos quadros, através do direcionamento de sua participação nas principais atividades partidárias, tais como seminários, cursos de formação, grupos de estudos. Para tanto, devemos utilizar como referência a Escola Nacional de Formação do PCdoB e suas ferramentas disponíveis. Nosso próximo desafio é contribuir com a seleção dos principais quadros para participação no Seminário Nacional dos 90 anos do PCdoB, a ser realizado nos dias 20 e 21 de abril na cidade de São Paulo;
5-      Liderar junto com a Secretaria de Finanças o processo de cadastramento dos quadros intermediários no Sincom, a começar pelas direções partidárias nos maiores municípios. Assegurar o cumprimento das normas partidárias previstas no artigo 10° do Estatuto do PCdoB. Para isso, as secretarias de finanças deverão fazer um levantamento de quem está no sistema e cruzar as informações;
6- Atuar em parceria com o Departamento Nacional de Quadros João Amazonas, no sentido de colaborar com as iniciativas nacionais que tenham interface com os quadros atuantes nos Estados, tendo por destaque:
- As políticas específicas direcionadas a juventude, mulheres, trabalhadores e quadros mais diretamente atuantes na luta de ideias e;
- Os Estudos Estratégicos, assegurando sua divulgação e que os principais quadros possam ter acesso aos dossiês;
7- Os Departamentos Estaduais de Quadros, tendo como base essa resolução, deverão apresentar um planejamento estadual até o final de abril/2012 ao Departamento Nacional de Quadros João Amazonas, e debater com o conjunto da direção estadual a sua implementação;
Rio de Janeiro, 24 de março de 2012.

Fonte:
PORTAL DA ORGANIZAÇÃO 1º Encontro Nacional dos Departamentos Estaduais de Quadros aprova Resolução. Em 24/03/2012. Online. Disponível em:
http://www.xn--portaldaorganizao-nqb9e.org.br/?p=9903. Capturado em 05/o4/2012.

Arquivo do blog